Uma abordagem oriental de terapia corporal na gravidez


A Massagem durante a gravidez actua em muitos níveis e alivia os desconfortos, bem como prepara corpo para o parto naturalmente. Promove também estados meditativos e estreitam os laços mãe/filho que permitem a gestante vivenciar uma gravidez prazerosa e saudável.

A Massagem Thai propõe integração corpo/mente e espírito através do toque aliado aos alongamentos e a meditação, retomando a milenar tradição budista da Tailândia. Esta é uma técnica que destaca por conter elementos de duas importantes Medicinas: Ayurveda e Chinesa, trabalhando o corpo de forma completa com estiramentos, pressão suave e um ritmo lento e contínuo.

Este blog é dedicado a prática terapêutica, ensino da técnica e complementos na abordagem durante a gestação, parto e puerpério, com seus inúmeros benefícios para as mulheres e bebês.

10.11.10

"Carregador de bebês" permitiu evolução de ancestrais humanos - Folha de São Paulo

(Depois de tanto ouvir que os bebes precisam "aprender" a ficarem sozinhos no berço, no carrinho... E ver um "lançamento" de super produto que embala o bebe -a baterias. Achei engraçado este artigo da Folha!!)
por Timothy Taylor, autor de “The Artificial Ape”



Tradução: Eloise De Vylder


Folha de São Paulo, 01/11/2010


Darwin estava certo ao dizer que nós evoluímos a partir de criaturas simples. Mas ele estava errado, a meu ver, sobre as causas. De certa forma, nós não nos tornamos naturalmente inteligentes o bastante para inventar a tecnologia da qual dependemos. Em vez disso, a tecnologia nos fez evoluir.

O início da era tecnológica há 2,5 milhões de anos é marcado arqueologicamente pelo primeiro artefato de pedra lascada. Depois disso, o processo de seleção natural e sobrevivência do mais forte foi prejudicado; humanos inteligentes com armas podiam matar animais mais fortes que eles. O fato de nossos ancestrais evolutivos terem começado bem longe do topo da cadeia alimentar é ilustrado pelo fóssil da criança Taung, os restos de um hominídio criança que, há cerca de 2,6 milhões de anos, foi provavelmente estripado e carregado por uma águia. Como esses ancestrais passaram de símios à civilização, descartando seus caninos massivos e imensa massa muscular, sobrevivendo num ambiente hostil?


A resposta é uma nova e radical tecnologia: o “baby sling”, ou carregador de bebê, uma solução bem mais inteligente para carregar bebês do que levá-los nos braços. Isso, eu concluí, permitiu uma expansão radical no tamanho do cérebro de nossos ancestrais, que começou há cerca de 2 milhões de anos.

O uso de ferramentas de pedra, antes disso, já havia conferido alguma vantagem intelectual a nossos ancestrais, reduzindo a necessidade de força física e permitindo que mais energia fosse usada no desenvolvimento da inteligência. Mas andar sobre duas pernas – que liberou as mãos dos primeiros hominídeos – também teve um efeito contraditório sobre o desenvolvimento humano, porque isso exigia uma pélvis mais estreita para agir como uma plataforma estável para a coluna vertebral ereta. Isso, por sua vez, estabeleceu um limite máximo para o tamanho da cabeça no nascimento. Então todo tipo de inteligência interativa – a habilidade com as mãos – foi encorajada, e qualquer expansão relacionada à expansão do cérebro apresentava um grande problema.


Darwin argumentou que as fêmeas teriam valorizado parceiros mais inteligentes, impulsionando a ascensão do macaco ao Homo através da seleção sexual. Mas as fêmeas provavelmente experimentavam partos cada vez mais perigosos (por causa das demandas conflitantes de uma pélvis menor e das cabeças maiores dos bebês). Em termos evolucionários, o cérebro humano é uma desvantagem: uma característica com muitos custos, vulnerável e ineficiente energeticamente.


O fato de nossos ancestrais passarem a andar sobre duas pernas tornou mais difícil para os bebês se agarrarem a suas mães – assim como o fato de que provavelmente eles tinham bem menos pelos no corpo do que seus ancestrais parecidos com macacos – então a pressão sobre os primeiros bípedes para encontrar uma solução para carregar os bebês deve ter sido intensa. Usar um “carregador” é um conceito compreensível para chimpanzés, mas é necessário um pouco mais de inteligência do que eles têm – ou um golpe de sorte – para inventá-lo. É provável que os “slings”, tanto para lançar projéteis quanto para carregar bebês, tenham sido inventados no período das primeiras tecnologias da idade da pedra – o que significa que eles são anteriores (e provavelmente permitiram) a emergência de cérebros maiores que caracterizaram a aparição do gênero humano, Homo. Sabemos, afinal de contas, que as rochas eram usadas para cortar carne há 3,2 milhões de anos, e que há 2,6 milhões de anos elas foram deliberadamente moldadas na forma de ferramentas em vez de simplesmente coletadas para o uso. Isso assinala não só o início da criação de ferramentas de acordo com desenhos padrão para propósitos específicos, mas também a “sucessão” em que a tecnologia se torna interligada, com a fabricação de uma ferramenta para criar outra.


As implicações da tecnologia do "sling" são imensas. Os slings permitem que o estágio fetal seja estendido depois do nascimento – como com os marsupiais como os cangurus – permitindo que o cérebro continue se expandindo fora do útero, e num ambiente cada vez mais cultural. Depois disso, o rápido desenvolvimento da tecnologia para os primeiros humanos pode bem ter sido impulsionado por uma competição agressiva entre diferentes grupos que utilizadores de tecnologias.

Em termos de cérebro humano, o ápice aconteceu há cerca de 40 mil anos. A pressão sobre o órgão existiu desde que começamos a expressar a inteligência sob forma de linguagem, escrita e, agora, máquinas. Hoje, nossa tecnologia está se tornando tão sofisticada que o que emergirá no futuro pode nem mais ser controlado por nosso própria vontade.


Isso pode ser uma boa coisa. São os efeitos inesperados da tecnologia que costumam ter o maior potencial. De fato, a própria ideia de nossa humanidade existir em oposição à nossa tecnologia é errada. Como o filósofo John Gray argumentou certa vez: “Pode ser que a maior semelhança entre os humanos e as máquinas que eles estão inventando agora esteja em sua capacidade para a consciência”. A tecnologia tem a capacidade de ignorar o tempo e durar indefinidamente na forma física. Ela também pode destruir nosso planeta. Mas não há uma solução de volta à natureza. Nunca houve uma para o macaco artificial.


Folha de São Paulo, 01/11/2010

O desenvolvimento do bebe segundo a tradição tibetana

Os textos tibetanos, antigos e modernos, descrevem estágios específicos no desenvolvimento do feto. Existem semelhanças surpreendentes entre os ensinamentos médicos antigos e as definições da medicina ocidental para estes estágios.


O antigo Illustrated Principles na Practices of Tibetan Medicine, do século XI, pode ser o mais antigo texto no mundo a descrever o processo gestacional em texto médicos. As ilustrações são pintadas com uma serie de tangkas: tradicionais, detalhadas minuciosamente e altamente estilizadas. Há 5000 anos atrás, quando não havia raio-X, estas ilustrações correspondem exatamente a imagens obtidas com ecografias modernas.

O três estágios do Desenvolvimento

A secção sobre embriologia humana começa com uma descrição das três fases do desenvolvimento humano no ventre: a fase do peixe, da tartaruga e do porco. Curiosamente, a obstetrícia ocidental do século XX fala também agora das distintas características do primeiro, segundo e terceiro trimestre de uma gravidez.


Também no livro On Birth and Life: Treatise on Tibetan Medicine se descreve estes três estágios. Norbu, o autor, nos da uma descrição detalhada dos três estágios numa linguagem que explica a síntese dos elementos físicos e espirituais das transições.

De acordo com este autor, na primeira noite após a concepção o esperma e o ovulo estão unidos mas ainda não amalgamados um com o outro. No espaço entre estes dois, a energia da vida (prana) e a mente do ser em concepção estão presentes e por eles envolvidos. Pouco depois, esta energia e a mente ligam-se com a sua origem masculina e feminina. Esta união emerge como uma fina teia ou fio de vida, que se torna a base para a continuação do desenvolvimento.

Nos primeiros seis dias, o desenvolvimento do embrião é promovido pela mescla dos elementos masculinos e femininos. Ao todo o embrião requer quatro semanas para tornar forma e outras nove semanas para completar o primeiro estágio do seu desenvolvimento. A fase de peixe compreende às primeiras treze semanas da gestação quando o embrião se parece um peixe.


Após três meses a barriga aumenta. A volta do quinto mês o fundo do útero encontra-se a distancia de um dedo por baixo do umbigo. Durante esta fase, os orifícios do novo corpo em formação tomam forma e os membros alongam-se como os de uma tartaruga.

Cerca de seis meses após a concepção, o fundo do útero esta mais ou menos a um dedo de distancia acima do umbigo, e de mês a mês, subira então. Ao nono mês o útero chegou a distancia de dois dedos abaixo do externo. Ao longo do nono mês o útero desce um ou dois dedos e parece alargar um pouco. Durante este período o feto tem a sua forma final e cresceu-lhe o cabelo na cabeça e pelos no corpo. Esta ultima fase chama-se a fase do porco.

 
... Nascer é um próximo passo, natural para a criança e não a dura separação de um ambiente quente e escuro. Esta separação é fácil, ambos, mães e bebe, querem que o bebe saia para iniciar esta nova fase.

 

The Tibetan Art of Parenting by Anne Hubbell Maiden

24.9.10

Programa dos Cursos

Massagem Thai Yoga na Gravidez


A prática da Massagem Thai nos propõe seu conceito de integração corpo/mente e espírito através do toque aliado aos alongamentos e a meditação, retomando a milenar tradição budista da Tailândia. A Massagem Thai é uma técnica que destaca por conter elementos de duas importantes Medicinas: Ayurveda e Chinesa. Ela trabalha o corpo de forma completa com alongamentos, pressão suave e um ritmo lento e contínuo. Neste modulo nos concentramos em sua abordagem e pratica durante a gestação, com seus inúmeros benefícios para as mulheres e seus bebes.

A Massagem Thai durante a gravidez actua em muitos níveis e alivia os diversos desconfortos desta fase, bem como prepara corpo para o parto naturalmente. A massagem amplia a mobilidade e fortalecimento das articulações, actuando sobre o sistema nervoso e melhorando o sono, a digestão, diminuindo o stress e aliviando dores.


Além de fortalecer o corpo, a Massagem Thai é uma prática meditativa que promove estados meditativos e contemplativos que estreitam os laços mãe/filho e permitem a gestante vivenciar uma gravidez prazerosa e saudável. Curso com carga horária mínima: 28 horas

Conteúdo:
* Conceitos da medicina Oriental na Saúde da Mulher (Ayurveda, Thai e Taoista)
* Fisiologia da Gestação e preparação ao parto
* Massagem Thai Yoga para Gestantes - Sequência de massagem thai tradicional (mod I) e com óleos (mod II)
*Sequencias de apoio com bola, almofadas e variações (mod I)
* Aromaterapia na massagem (mod II)
* Práticas vivenciais de massagem, tipos toque e alongamentos/ásanas


Massagem na Recuperação Pós Parto


Este curso, em complemento ao Módulo Gravidez, é destinado aqueles que pretender atuar com o período de puerpério em suas diversas fases, desde o pós parto imediato até o desmame, utilizando a massagem e manipulação de acordo com as tradições milenares do Oriente em conjunto com a linguagem contemporânea de estudo do movimento.


O principal objetivo aqui é promover a práticas corporal de relaxamento, alongamento e manipulação ajudando o corpo da recém mãe se restaurar e melhorar o cansaço e falta de energia. Duração mínima deste módulo: 20 horas


Conteúdo:
*Etapas do Puerpério – Dos tipos de partos ao tempo de cada um
*Auxilio terapêutico de contacto na amamentação
*Massagem e exercícios abdominais
*Uso do “rebozo”, panos de apoio
*Terapia de Calor na Massagem
*Introdução a Massagem Herbal Tailandesa
*Integração Pélvis- Períneo (na recuperação do soalho pélvico e órgão internos)


Requisitos: Os participantes deverão ter experiência prévia com trabalhos corporais (massagens, yoga ou afins) ou ainda outras práticas relacionadas à gravidez (mães, doulas, enfermeiros, parteiras, psicólogos e terapeutas).

16.9.10

Programacao Outubro a Dezembro 2010

Novas datas para outubro e novembro

30 e 31 de outubro e 01 de novembro
Massagem no Pos Parto - Sintra
11 a 14 de novembro
Massagem Thai Gravidez - Mod I e II - Sintra

23 e 24 de outubro
Massagem Thai Gravidez - Mod I - Porto
20 e 21 de novembro
Massagem Thai Gravidez - Mod II - Porto
11 e 12 de dezembro
Massagem no Pos Parto - Porto

2 de novembro
Oficinas de Aromaterapia na Gravidez em Sintra
Favor contactar marjoriefs@hotmail.com - 913319836


Em breve detalhes de programacao...
DATAS PARA O BRASIL ENTRE FEVEREIRO E ABRIL!!

1.3.10

Candidiase (por Sonia Hirsh)

Nunca ouviu falar nisso antes? Mas já sentiu, com certeza, pois quase toda mulher sofreu pelo menos um ataque de monília na vida - aquele corrimento que coça infernalmente e tem aspecto de leite talhado. Quem o produz é um fermento que atende por Candida albicans, mora nas nossas entranhas e aproveita qualquer oportunidade para se multiplicar, produzindo corrimento, sapinho e assadura. Só que, se a sua imunidade estiver baixa e a alimentação pobre, a cândida prolifera a ponto de se espalhar pelo organismo todo, provocando alergias, dores abdominais, garganta seca, insônia, queda de cabelo, estragos nas unhas, enxaqueca, hipoglicemia e mil coisas mais. É a candidíase polissistêmica, e significa que você entrou numa fria.


Trata daqui e dali, toma isto e aquilo, passa e bota e aplica esta e aquela e a outra, e a cândida pula que nem pipoca: aqui, ali, acolá. Incógnita. Ninguém sabe, ninguém viu, tudo parece outra coisa. A enxaqueca deve ser do fígado, o corrimento é culpa dos hormônios, a cólica e os gases vêm de alguma coisa que você comeu, a alergia é de família. Assim vai se instalando um inferninho particular que deixa você indisposta e com fama de hipocondríaca. Fora o fato de que uma candidíase pode botar o seu tesão a nocaute e mil grilos na cuca da pessoa amada!

- Ah, mas eu nem tenho corrimento..., diz você. Não? Nem precisa. Vaginite é apenas um dos sintomas visíveis da cândida. Veja os outros:


*no sistema gastrointestinal dá sapinho, flatulência, gases, cólicas, cólon irritável, coceira ou queimação anal, intestino irregular, garganta seca
*
no sistema geniturinário dá vaginite e infecções das vias urinárias
*
no sistema endócrino mexe com a menstruação das formas mais diversas no sistema nervoso dá depressão, irritabilidade, insônia e dificuldade de concentração
*
no sistema imunológico dá alergia, sensibilidade a produtos químicos e função imunológica diminuída e de modo geral está ligada a fadiga crônica, falta de energia, mal-estar e perda da libido.
Quem são as vítimas prediletas: mulheres, 60% dos casos; homens, 20%; crianças de ambos os sexos, 20%. Ou seja, nós garotas somos a esmagadora maioria, o que se atribui à maior complexidade do nosso sistema hormonal.
Quais os fatores que predispõem à coisa? Antibióticos, pílulas anticoncepcionais, corticosteróides, drogas contra úlceras; insuficiência de secreções digestivas, de enzimas pancreáticas e de substâncias que promovem o fluxo de bile; insuficiência hepática; excesso de açúcar, carboidratos em geral e álcool na dieta.

Diagnóstico: dificílimo, exatamente porque os sintomas confundem o raciocínio das médicas. Claro que você pode fazer um exame de fezes que procure a cândida e testes cutâneos e sanguíneos para ver se há sinal de anticorpos.

http://www.correcotia.com.br/
Site da Sonia, vale a pena!


25.1.10

Aromaterapia - Parte II - Parto e Pós Parto

       O Olfato é o sentido mais presente no Parto, quanto maior o nível de estrógeno no corpo mais sensíveis ficam os órgãos olfativos, podemos aplicar Aromaterapia no Trabalho de Parto com massagens, inalações, banhos e compressas. Alguns estimulam a produção de estrógeno e são indicados para o parto são: Rosa, Angélica, Gerânio, Tomilho, Baunilha, Sálvia, Camomila, Orégano.


      Neróli, bergamota, rosa e olíbano são bons para massagem e inalações, pois aumenta os níveis de endorfinas. Lavanda e salvia esclaréia para dor, jasmim acelerar as contrações e para náuseas hortelã pimenta ou lavanda.


Aromaterapia na Massagem Pós Parto

 Na Barriga podemos aplicar ou instruir a mãe a fazer massagens suaves no abdômen pós parto, no sentido horário com círculos grandes e pequenos. Este movimento evita constipações, retenção de energia e ajuda a tonificar e estimular os órgãos internos de forma suave. Cítricos e Lavanda são boas opções. Evite ao máximo friagem no útero pós parto.


Para depressão pós parto, usar na massagem : Bergamota, Gerânio, Neróli, Rosa e Sálvia Esclaréia.

Amamentação e Seios


    Para leite insuficiente usamos compressas e massagens com: Funcho Doce,Gerânio, Jasmim e Lemongrass, em Compressa Quente e leite empedrado, Camomila, Gerânio, e Olíbano em Compressa Fria.

 
    Nos mamilos rachados e inchados massagem com Tea Tree, Rosa, Patchouli, Lavanda e Camomila.

      Fazer a massagem nos seios após a Amamentação Exclusiva com óleo puro de Amêndoas e essencial (100 ml + 1ml de essencial), promove:

*Limão – fortalece os tecidos
*Gerânio - desenvolve os seios
*Rosa - desperta sensações, para harmonização e retorno da sensibilidade


Podemos usar estes óleos também durante a gestação - Lembre que para o uso seguro de óleo essenciais nestas condições especiais a quantidade de oleo nao deve ir alem de 1%! Não deixe de consultar um profissional!
marjoriefs@hotmail.com
Por Marjorie Sá

5.1.10

Aromaterapia na Gravidez



Durante a gravidez a Aromaterapia pode ser utilizada de diversas maneiras para prevenir e amenizar os desconfortos, comuns neste período. Dores nas costas, náuseas, insônia, constipação, inchaços entre outros podem ser tratados com a Aromaterapia na gravidez que auxilia também nas questões emocionais como ansiedade, medos e ainda na cicatrização no pós-parto e na amamentação insuficiente ou excessiva.


A Aromaterapia utiliza os óleos essências, substancia extraída de diversas partes das plantas e de maneira especifica em cada tipo de extração. Os óleos essenciais são óleos aromáticos, voláteis e com propriedades curativas e terapêuticas, solúveis em álcool, emulsificantes e gorduras.

Banhos, Massagens, Inalações, Escalda pés, Compressas, Óleos e Loções corporais e faciais, Hidrolatos ou spray e Cosméticos em geral são as aplicações da Aromaterapia. Óleos vegetais de sementes como o de semente de uva, abacate, gérmen de trigo, amêndoas ou de flores como o de calêndula são óleos carregadores que servem de veículo para os essenciais em algumas aplicações.


Os óleos minerais, derivados de petróleo e os quimicamente tratados são contra indicados para Aromaterapia e para sua aplicação em gestantes e bebês.

A aplicação dos óleos e seus procedimentos devem ser feitos de acordo com orientação profissional, levando sempre em conta as condições físicas do paciente, seu temperamento, ambiente e até possíveis alergias e gostos.


Para a Massagem em Gestantes utilizamos a proporção de 1% de óleo essencial em óleo vegetal, portanto a cada 100ml de óleo vegetal acrescentamos 1ml de essencial. É importante usar óleos vegetais e essenciais de qualidade.

Os mais indicados são Lavanda, Laranja (atento a sua fototoxidade, não expor a pele ao sol por 12 horas), Camomila, Gerânio, Neróli, Olíbano, Rosa e Ylang Ylang.



1 ml = 20 gotas
Por Marjorie Sá